Buscar
  • CPGS

SELEÇÃO DE PROCTO - DR GUSTAVO BECKER PEREIRA.

Poderia passar horas dizendo o quanto sou grata ao Dr Gustavo por ter proporcionado com competência, profissionalismo e atendimento humanizado a tão esperada e merecida cura de um membro muito querido do CPGS. Agradeço a disponibilidade de sempre também!! Muito obrigada Dr!! 🔰

1) Nem todo "cisto" contém pêlos, na sua opinião qual a causa mais aceita para a origem da Doença Pilonidal atualmente?

R: A origem da doença pilonidal mais aceita atualmente consiste como sendo uma condição adquirida relacionada à presença de pêlos na região sacrococcigea. Os pêlos acumulados nessa área, associados à sua inserção na linha média tendo ação de forças de atrito no local poderiam levar à formação de pequenos orifícios, com evolução à cavidades recobertas por células epiteliais e fístulas.

2)Vemos constantemente casos de múltiplas cirurgias, quais seriam os principais fatores para uma recidiva?

R: Há as causas correlacionadas com a técnica cirúrgica: que incluem a retirada incompleta do cisto bem como mecanismo de tensão no fechamento e as associadas aos cuidados pós operatórios: manejo adequado do curativo para que a cicatrização ocorra do melhor modo possível, a retirada dos pêlos com raio de 6cm ao redor da cirurgia por pelo menos 6 meses após a lesão já estar fechada e evitar traumas locais. Sendo uma falha nessa segunda etapa a principal causa da recidiva da doença.

3) O retalho é indicado para qual situação?

R: Costumamos utilizar o retalho em casos selecionados, quando a doença primária já se apresenta de forma extensa com múltiplos orifícios fistulosos. Outros fatores que também influenciam nesta decisão são o tempo de doença, idade do paciente, trajetos múltiplos, atividades ocupacionais e cirurgias prévias.

4)Existe alguma restrição para o uso do EPSiT? Como por exemplo de casos recorrentes.

R: O EPSiT é uma técnica que consiste na introdução de um fistuloscópio através do orifício possibilitando a visualização da cavidade da doença pilonidal e seu tratamento interno. É uma ótima opção para os casos recorrentes e a literatura tem demonstrado baixas taxas de recidiva. Sua aplicação fica restrita nos casos em que a doença é muito pequena (impossibilitando a entrada do fistuloscópio) ou quando há deformidade da pele que indique a ressecção desse tecido doente.

5)É recomendável a depilação a laser antes do tratamento cirúrgico?

R: A depilação a laser é uma opção principalmente para os pacientes que têm grande volume de pêlos na região interglútea. Normalmente pode ser indicada a partir do sexto mês de cirurgia, quando já há uma cicatrização bem estabelecida. Lembrando que cada caso deve ser avaliado individualmente de acordo com as características do paciente e o método cirúrgico empregado.

Debbie Signé #cistopilonidalgrupoesuporte #cistopilonidal #selecaodeproctos

63 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo